Zen


 

 

Ao nosso Zen

 

Deny Saback

06/06/06

        

Nas suas horas finais de vida, meu gatinho Zen, companheiro de jornada nesses últimos catorze anos, minha covardia não me deixou ficar ao seu lado em seus últimos suspiros...

Zen, perdoa esse meu egoísmo... Para me preservar, me afastei quando você mais precisava do meu calor.

Meu imenso amor por você bloqueou qualquer reação minha e eu não lhe dei minha presença naqueles momentos de dor.

Sua falta em nossa casa é e será presente.

Seu cheiro permanecerá para sempre em nosso território marcado por sua constante proteção.

O miado diário de seu chamado continua ecoando sonoro e alto, nesse espaço que será sempre seu.

Obrigada por tanto. Serei um eterno aprendiz de seu jeito zen de ser...

Nós, eu, Tina e Cris, mulheres de sua vida, agradecemos todo o carinho e a alegria que nos proporcionou durante todos esses anos de convivência.

Perdoa-me pelos erros que, talvez por excesso de amor, eu possa ter cometido.

Zen, meu Preto lindo! Sua ausência deixa meu coração cheio de um vazio dolorido, mas repleto pela alegria da certeza que tenho em saber que, agora, você está em paz.

Logo estaremos juntos...

 

Dorme com os anjos meu Bem...

Fica com Deus meu Zen Neném...

 

 

 

 

 

AnteriorInícioPróximaCatStuff